Conheça a Filosofia Lean Thinking

Esse modelo de gestão empresarial nasceu do Sistema Toyota de Produção, desenvolvido no Japão pela indústria automobilística ao final dos anos 1940. Termo, que significa ao pé da letra ‘mentalidade enxuta’, é utilizado no mundo dos negócios para denotar uma otimização de recursos, gerando valor com um menor custo, evitando - ou eliminando - os desperdícios.

Desperdícios são tudo aquilo que consome recurso sem agregar valor ao cliente: identificá-los é o primeiro passo para implantar essa mentalidade nos negócios. De acordo com a filosofia Lean, existem sete desperdícios da produção: excesso de produção, espera, transporte, movimentação, processamento, estoque e defeitos.



Excesso de produção

Produzir mais do que é preciso para atender o cliente utiliza recursos desnecessários, gerando estoques, deslocamentos, etc., consumindo capacidades que deveriam ser utilizadas para fazer o que o cliente realmente deseja. É importante que cada etapa produza o que exige o processo seguinte.


Espera

O ideal é que todos os processos ocorram em fluxo contínuo, entregando de maneira rápida para o cliente, sem interrupção. Quando alguém ou algum equipamento está parado sem produzir nada, há uma grande ineficiência e desperdício. Se você observar com atenção ambientes de trabalho, é fácil perceber pessoas aguardando materiais ou informação, causado por instabilidade e desbalanceamento entre etapas.


Transporte

É um grande desperdício fazer qualquer tipo de transporte que poderia ser evitado, já que há sempre um trabalho e custo por trás da movimentação de materiais dentro de uma organização - interna ou externamente.



Movimentação

De maneira parecida, a movimentação de pessoas dentro de uma empresa, sem necessidade, é um desperdício. Nesse ponto, é muito importante organização e layouts que favoreçam a otimização do tempo: estações de trabalho distantes, por exemplo, fazem com que as pessoas percam energia sem produzir valor.


Processamento desnecessário

Quando fazemos algo que não precisaria ser feito e, mesmo eliminando-as, não fariam a menor falta. Por exemplo: pessoas conferindo coisas que já haviam sido conferidas ou processos que se mantiveram após mudanças em algumas condições, mas que só faziam sentido anteriormente.


Estoque

Se aquilo que é produzido não é consumido - pelo consumidor final ou pelo processo seguinte em um cadeia produtiva - temos estoques. O desperdício mais evidente é o custo financeiro de um capital parado; mas o estoque acaba escondendo vários outros problemas, ao postergar a detecção de defeitos, gerando retrabalhos em grande lotes.


Defeitos

O sétimo desperdício é bastante recorrente nas organizações tradicionais: gastar tempo, gente e recursos para refazer ou corrigir erros. Os exemplos são inúmeros e irá depender do tipo de empresa, produto ou serviço.

Embora esses pontos tenham sido identificados na produção de automóveis, eles auxiliam qualquer tipo de empreendimento, transformando sensivelmente a realidade desses negócios, facilitando a melhoria da gestão, além de aumentar e fortalecer o comprometimento dos profissionais.


E aí? Quais desses 7 desperdícios mais acontecem na sua empresa?

Se conscientizar da existência deles é o primeiro passo para eliminá-los.

16 visualizações
  • YouTube - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

Se inscreva para receber todos os nossos posts :)