Três motivos pra separar o dinheiro da empresa do seu

Atualizado: 20 de Nov de 2018

O primeiro conceito que você tem que ter em mente quando abre uma empresa é a de que ela precisa se sustentar para ser viável. E se você mistura as contas pessoais com as do negócio, como vai saber se o seu empreendimento está em evolução? Sem fazer a distinção entre o que é seu e o que inerente ao negócio, você também terá dificuldade em projetar o futuro da sua empresa.

Listamos bons motivos para você fazer um esforço maior e conquistar a autonomia das finanças pessoais e corporativas. Confira:



Dinheiro da empresa: Avalie as operações do empreendimento com precisão dos dados

É preciso ter clareza quanto aos valores do que está entrando e do que está saindo para verificar, de fato, se as operações estão revertendo lucro ou se estão gerando prejuízos. Monte o fluxo da empresa incluindo apenas custos e rendas específicos do empreendimento para ter uma visão sem distorções. Os dados reais sobre os custos e ganhos do seu negócio só serão úteis se forem concretos, portanto, separe as contas empresarial e pessoal.


Defina o seu pró-labore e demais salários de forma justa

Caso você tenha um pró-labore flutuante, que varia conforme a lucratividade do negócio, poderá estar tirando quantias importantes para a expansão da empresa ou ficando sem nada em épocas difíceis. E lembre-se que o lucro da empresa não pode beneficiar apenas você. Parte dos resultados do seu negócio tem que gerar remuneração dos funcionários e prover investimentos. Pata ter essa organização é essencial separar as contas!

Inclua o seu pró-labore entre as despesas com remuneração. Defina um rendimento mensal e mantenha-o no mesmo patamar. Os lucros da empresa devem provisionar uma série de situações, entre elas expansão, desenvolvimento de novos negócios e até custos inesperados.


Tenha controle sobre a reserva de caixa

Separar o dinheiro pessoal e o empresarial lhe possibilita o controle não somente do fluxo de caixa, mas também de uma reserva. Um negócio ou um indivíduo sem qualquer amparo financeiro para emergências corre o risco de entrar no vermelho.

Parte dos rendimentos deve ser preservado para amparar situações imprevistas ou garantir investimentos. Acompanhe sempre os usos desse caixa e tente nunca o deixar zerado. A reserva de caixa pode e deve ser movimentada quando necessário, mas ela perde o principal objetivo, que é o de dar fôlego financeiro ao seu empreendimento, quando fica zerada. Esse cuidado é uma prevenção para que você fuja da tentação de injetar dinheiro pessoal na empresa, quando as coisas apertarem e perder todo controle novamente.


A ideia da reserva de caixa também vale para as suas finanças pessoais. Defina um pró-labore que seja suficiente para o seu sustento, mas que garanta também uma reserva. E assim, você começa a experimentar a feliz independência financeira. Sua empresa e seu bolso agradecem!

Você separa o dinheiro da empresa e o pessoal? Qual é a maior vantagem disso? Deixe seu comentário!



Abraços contábeis e até a próxima!





  • YouTube - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

Se inscreva para receber todos os nossos posts :)